sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

"Correio de Droga" em análise

Clint Eastwood está de regresso aos cinemas com Correio de Droga, um filme realizado e protagonizado pelo próprio, depois do fracasso do seu mais recente 15:17 Destino Paris, lançado há cerca de um ano atrás. 

Desta vez, Eastwood apresenta-nos uma história que é facilmente resumida em poucas palavras. Earl Stone é um homem falido e solitário que vê uma oportunidade de ganhar muito dinheiro sem se esforçar muito, apenas a conduzir e a fazer entregas de drogas. Claro está, já sabemos que quando alguém bom se junta a estes negócios escuros as coisas não correm bem para o seu lado. E é precisamente o que acontece com Earl, que começa a ser controlado por um cartel mexicano bastante perigoso e torna-se também no alvo de dois agentes da DEA


Depois de vermos o trailer deste filme, ficamos a pensar que vamos ter grandes momentos de ação. No entanto, isso pouco ou nada acontece, sendo que até as cenas de perseguições (se assim lhes podemos chamar) são calmas e existem poucos tiros a serem disparados – quase podia dizer que não é disparado um único tiro ao longo do filme, mas isso seria uma pequena mentirinha… 

No entanto, apesar de nos sentirmos um bocado enganados, uma coisa é certa: a personagem de Clint Eastwood é capaz de conseguir a nossa empatia logo desde o início, assim que o vemos a dedicar-se às suas plantas. Depois é nos momentos em que este conduz e canta grandes êxitos do seu tempo que nos rendemos por completo a Earl. O mesmo não podemos dizer das outras personagens, que têm pouco tempo de antena devido talvez ao facto de o elenco ser excessivo – em alguns momentos nem vamos conseguir reconhecer algumas personagens, por mal terem aparecido. É uma pena, pois o elenco deste filme é bastante interessante, contando com Bradley Cooper, Michael Peña, Taissa Farmiga, Alison Eastwood, Dianne Wiest e Andy Garcia. 


Apesar de não chegar aos calcanhares de filmes como Million Dollar Baby ou Gran Torino, é inevitável notar que este filme vai buscar um tema que já tem sido recorrente na carreira de Clint Eastwood enquanto realizador: o homem idoso, solitário, resmungão, que não quer a ajuda de ninguém (em grande parte por ter sido rejeitado por aqueles que lhe são próximos). Então, acabamos por ter aqui um filme “tipicamente Clint Eastwood”, até porque no geral os seus filmes tentam quebrar um pouco o ritmo de Hollywood e parecem afastar-se sempre um pouco dos tempos modernos – no caso da sua personagem Earl Stone, este mostra constantemente ser contra a Internet, porque foi devido às modernices que a sua empresa foi à falência.

Correio de Droga certamente não é um dos melhores filmes da carreira de Clint Eastwood. No entanto, mesmo assim, consegue levar-nos numa viagem interessante, sem grandes surpresas mas ao ritmo de uma banda sonora boa e com uma interpretação bastante carismática por parte do protagonista.
7/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações. Vi na criação deste espaço o local ideal para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto.

9 comentários:

  1. Não conhecia, mas parece-me ser o meu género!

    ResponderEliminar
  2. Confesso que ainda não tinha ouvido falar do filme, mas talvez lhe dê uma oportunidade :)
    Tenho que rever Million Dollar Baby!

    ResponderEliminar
  3. Dois amigos foram ver um filme de cowboys. No decorrer do filme, a dada altura há uma sena em que um indivíduo leva um tiro e cai no chão. No dia seguinte os dois amigos vão ver o mesmo filme. Ao verem o indivíduo levar o tiro. Diz um para o outro, aquele gajo é mesmo muito burro. Ontem levou um tiro e hoje volta a passar no mesmo sítio!!!
    Quanto a esse filme "Correio de Drago" Onde há draga também há tiros, porque a ganância de ganhar muito dinheiro à conta da sua, clandestina, comercialização a isso obriga os intervenientes!

    Tenha um bom fim de semana Joana Grilo.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pela dica, já vi a apresentação na televisão e irei certamente ver no cinema.
    Obrigado por comemorar comigo o nascimento do meu netinho Lourenço.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  5. Obrigada por esta crítica tão bem estruturada! Ainda não vi o filme, mas corresponde aos comentários que tenho ouvido por aí :-)

    ResponderEliminar
  6. Estou muito curiosa para ver o filme.
    Sou fã de Eastwood enquanto actor e realizador.

    ResponderEliminar