quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

"Vice" em análise

Para começar, tenho de dizer que não sou fã de Adam McKay, o realizador de Vice. Em grande parte porque detestei A Queda de Wall Street, o seu último filme, do início ao fim. Então, naturalmente fui ver este novo filme sem expectativas, apenas a desejar (quase a rezar!) gostar mais do que do outro. 

Vice acompanha Dick Cheney e o seu percurso de vida até se tornar vice-presidente dos Estados Unidos da América e, consequentemente, um dos homens mais poderosos do mundo. 


Este é um filme que certamente já deu que falar, em grande parte devido às transformações que os protagonistas sofreram, especialmente Christian Bale, que volta a estar irreconhecível e com mais uns quilinhos em cima. Para além deste pormenor, Vice também se tem destacado bastante nesta época de prémios. Por isso, porque não ir vê-lo, mesmo quando não apanhamos nada de política, não é verdade? 

Então, o filme começa logo com Cheney em ação, mas ao longo da trama temos recuos no tempo que nos dão uma percepção da evolução da sua personagem. Também somos introduzidos à sua família e amigos, o que nos ajuda a conhecê-lo melhor. 


Algo que se destaca logo é a presença de um narrador, que ao início parece apenas ter conhecimento da história, mas com o passar do tempo começamos a ter pistas de que este se vai cruzar com o próprio plot e vai deixar de ser apenas um narrador para passar a ser um elemento essencial da narrativa. O curioso é que mesmo com as pistas, dificilmente percebemos qual vai ser a conclusão. 

Claro está, este filme tem uma enorme quantidade de humor, que no geral funciona bastante bem e entrega ao público aquilo que queremos, mesmo parecendo arriscado. Se, por acaso, a meio do filme começarem a achar que parece que já estão a assistir a uma cena final… Bem, talvez seja mesmo essa a ideia! 


O filme tem grandes prestações por parte dos atores, ainda que Christian Bale seja mesmo aquele que se realça mais. No entanto, os atores secundários - Amy Adams, Steve Carell e Sam Rockwell - também são fundamentais no filme e não estão presentes apenas para mostrar o excelente trabalho do departamento de maquilhagem. 

No final, Vice é um filme que nos apresenta uma espécie de biografia num tom cómico. É divertido e, felizmente, gostei muito mais do que d’A Queda de Wall Street (ainda que sejam notáveis algumas semelhanças derivadas do estilo do realizador). É o filme ideal para a época de prémios em que estamos, ainda que provavelmente se saia pouco vitorioso.
7/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações. Vi na criação deste espaço o local ideal para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto.

5 comentários:

  1. É mesmo :D

    Isto de vir aqui é querer ver tudo de uma vez só :o

    NEW PERSONAL POST | 6TH BLOGIVERSARY: AND THE MAGIC CONTINUES TO GROW!
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito de filmes
    e de dividir minhas impressões
    sobre eles. Ja estou seguinto aqui.

    ResponderEliminar
  3. Adoro o Christian Bale e nem sonhava que era ele a fazer esse personagem! Uau!
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  4. Mais um filme que não conhecia! Obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar
  5. Este também nunca vi!
    r: Que coincidência ahah. Deixa-me adivinhar, foste ver o filme da Alita?
    Parabéns atrasados linda!!!

    ResponderEliminar