quinta-feira, 23 de maio de 2019

"Aladdin" em análise

Em 1992, tivemos o lançamento de Aladdin, que se tornou num clássico no universo da Disney. Agora, seguindo a corrente de remakes (já tivemos Cinderela, O Livro da Selva, A Bela e o Monstro, Dumbo), a Disney lança uma nova versão deste filme com atores em carne e osso. Admito que, sendo alguém que não está a achar grande piada aos remakes até agora lançados, tinha as expectativas muito baixas, porque achei que dificilmente chegaria aos calcanhares do original. 


A história de Aladdin já todos conhecem: temos um rapaz pobre que, juntamente com o seu macaco Abu, rouba para viver. Certo dia, conhece uma rapariga por quem se apaixona e só depois descobre que esta é a princesa. No entanto, ambos vivem em realidades diferentes que os separam e para aumentar mais essa distância há ainda um Vizir, chamado Jafar, que apenas quer chegar ao poder e para isso influencia as decisões do sultão, afetando também Aladdin e Jasmine. E depois há um Génio, que sempre dá uma pequena ajuda ao casal. 

Realizado por Guy Ritchie, algo que salta logo à vista nas primeiras sequências são as tonalidades coloridas, que levam a uma fotografia interessante. Visualmente, é curioso ver como a cidade de Agrabah se torna viva em imagem real, especialmente na sequência da chegada de Aladdin ao palácio, com a canção “Prince Ali”, durante a qual temos uma enorme explosão de alegria. 


As músicas do filme original estão todas presentes e são acompanhadas de coreografias interessantes, seja com Aladdin a fugir depois de ter roubado ou com Génio a dançar energeticamente. Durante a sequência de “A Friend Like Me” temos os efeitos visuais do filme em todo o seu esplendor, transmitindo não só uma excelente qualidade de edição como também uma enorme nostalgia. No entanto, depois temos um dos momentos mais aguardados pelos fãs do original, que é o momento em que Aladdin leva Jasmine a viajar no tapete mágico, enquanto ambos cantam “A Whole New World”, que, a meu ver, não ficou tão bem realizado, não sendo capaz de transmitir muita magia - até porque, ao contrário do original que mostrava realmente várias paisagens incríveis, este só mostra planícies e estão demasiado escuras. 

A juntar-se ao reportório do filme original, temos também algumas músicas novas e é de destacar “Speechless”, a música que é cantada por Jasmine já perto do final, que foi composta por Benj Pasek e Justin Paul (poderão reconhecê-los por terem sido os compositores das músicas de La La Land ou The Greatest Showman) e é fantástica, dando ainda um maior poder à personagem e mais um momento a Naomi Scott para brilhar. 


No que toca à história, esta pouco se alterou, mas teve alguns acrescentos que até são bem recebidos. É de destacar o aprofundamento de duas personagens: Jasmine, que agora tem objetivos muito mais definidos e que se torna numa personagem atual, mostrando a necessidade do empoderamento das mulheres, e Génio, que recebe uma história para além daquela que já conhecemos, de ser apenas uma personagem azul que realiza desejos. No geral, as personagens humanizaram-se mais neste filme e, assim dizendo, é pena que não tenha havido mais espaço para momentos criativos na história, tendo em conta que as adições feitas funcionaram bem. 

No que toca ao elenco, no geral este consegue brilhar. Will Smith apresenta-nos um Génio muito diferente do de Robin Williams e percebe-se bem que tem o seu toque, distanciando-se do anterior e sendo bem-sucedido mesmo assim. Naomi Scott revela ser uma Princesa Jasmine cheia de carisma, entregando também uma boa prestação, tanto como atriz como cantora. Mena Massoud, que é um principiante em longas-metragens, tem tudo o necessário para dar um bom Aladdin. Por sua vez, Marwan Kenzari não foi uma boa opção para o papel de Jafar, pois não consegue realmente mostrar os seus grandes desejos pelo poder e muito menos mostra o seu lado mais malvado, parecendo apenas uma pessoa normal – a sua caracterização também não ajudou, pois está demasiado simples para um vilão como o Jafar. 


Claro que o filme não é tão bom como o de 1992, no entanto diria que desta vez estamos perante um bom remake, capaz de prestar uma grande homenagem à história, mas também de a tornar mais atual. As sequências de ação foram bem pensadas e juntamente com os cenários coloridos torna-se num filme muito fresco e agradável de se ver, especialmente para os fãs do original, que vão ter aqui vários momentos nostálgicos.

7/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações. Vi na criação deste espaço o local ideal para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto.

20 comentários:

  1. A Bela e o Monstro eu vi,
    ouvi falar da Cinderela
    porque algo também já li
    acerca do sapatinho dela!

    Tenha uma boa tarde Joana Grilo.

    ResponderEliminar
  2. Dos remakes, ainda só vi o d' A Bela e o Monstro e adorei. Senti que esteve muito fiel ao original. E também vou querer ver este :)
    Obrigada por mais uma partilha tão bem fundamentada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu caí no terrível erro de ver "A Bela e o Monstro" na versão dobrada em Português...

      Eliminar
  3. Deve ser espectacular.
    Vi tantas vezes em desenhos animados com os meus filhos, eles adoravam as músicas.
    Obrigado pela partilha.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  4. Adoro os filmes da Disney.
    Não sabia da existência deste filme, um bom programa para ver com as minhas filhas.

    ResponderEliminar
  5. Não vi.
    Mas talvez goste, ainda que eu não seja apreciador do género.
    Joana, obrigado pela visita e comentário.
    Gostei deste vosso blogue, é muito interessante (já sou seguidor).
    Bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. I have not tired with those stories.
    Interesting!

    Kisses

    ResponderEliminar
  7. Obrigado :D

    Fiquei bem curioso por ver, para te ser sincero... só pelo simples facto de terem transformado em "real" um filme do qual me lembro bem :D

    NEW BRANDING POST | SMOOTH AND PERFECT SKIN!!
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  8. Aaaaaaaah eu quero muito assistis Aladdin!!
    Deve ser muitooo legal :D
    Adorei sua análise.

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderEliminar
  9. Será mais um para eu veer, ou não fosse eu, fã nata da Disney :)

    Beijinhos e bom fim de semana
    www.danielasilva.pt

    ResponderEliminar