quarta-feira, 1 de maio de 2019

"Mary e a Flor da Feiticeira" em análise

O filme de hoje demorou mais tempo do que devia a estrear cá em Portugal. Mary e a Flor da Feiticeira já é de 2017, mas só agora teve a aguardada estreia nacional e com direito o a dobragem portuguesa. A trama acompanha Mary, uma menina ruiva com cabelo desengonçado, que descobre uma vassoura escondida e, deste modo, é apresentada e levada para um novo mundo mágico cheio de bruxas e feiticeiros. 


Com uma técnica de animação muito idêntica à dos outros filmes do realizador Hiromasa Yonebayashi – O Mundo Secreto de Arrietty e Memórias de Marnie - e dos Studio Ponoc (consequentemente, lembra a animação dos Ghibli), visualmente é tudo muito colorido e cheio de pormenores. De destacar que os cenários muitas vezes parecem ser pinturas de aguarela, com as personagens a destacarem-se por terem uma animação mais forte e contrastante. 

A banda sonora é muito agradável, com mudança de ritmos consoante o que se está a passar. Em alguns momentos remete mesmo para o tema da magia, introduzindo o som de flautas e violinos, muitas vezes com uma maior rapidez, para acentuar a ação. 


A narrativa é fluída e a história está bem contada, sem esquecer que o mundo mágico é completamente novo para Mary, mostrando sempre esta com um grande ar de surpresa. No início até relembra um pouco a chegada de Harry Potter a Hogwarts

Tendo o filme sido dobrado em português, gosto também de comentar isso. Algo que me incomodou um pouco foi a falta de coerência na tradução dos nomes. Penso que não faz muito sentido traduzir alguns, mas manter outros em inglês. Ainda que dois dos nomes mantidos em inglês fossem os dos protagonistas, não se justifica não terem traduzido o nome da "escola" para onde Mary vai. Para além disso, penso que a dobragem em determinados momentos foi mais infantil do que seria necessário. 


No geral, Mary e a Flor da Feiticeira apresenta uma história divertida e cheia de magia e personagens carismáticas. Visualmente, tem uma animação muito interessante e vale a pena ver, especialmente para aqueles que são fãs da animação japonesa. Apenas lamento o facto de ter demorado tanto tempo a estrear em Portugal...

7/10 ⭐
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

10 comentários: