quarta-feira, 29 de maio de 2019

"Rocketman" em análise

Depois de no ano passado termos tido o sucesso de Bohemian Rhapsody, parece que Hollywood descobriu nos biopics uma mina de ouro. Agora, é a vez de termos um filme baseado na vida de Elton John, realizado por Dexter Fletcher, o homem que terminou o anteriormente referido depois do afastamento de Bryan Singer. No entanto, as semelhanças entre os dois filmes terminam por aí, pois este não é um biopic normal, mas sim um musical fluído que celebra a carreira de Elton John ao mesmo tempo que vai contando a sua história, numa narrativa bem elaborada e com canções encaixadas nos momentos certos. 


Os momentos musicais são merecedores de destaque, pois são acompanhados de coreografias eletrizantes e sincronizadas, com cenários atraentes (como, por exemplo, uma feira popular). Estes momentos ajudam a dar um toque de fantasia ao filme, levando-nos para a mente extraordinária de Elton John. 

A própria figura do protagonista é retratada de um modo notável, com um guarda-roupa e uma maquilhagem deslumbrantes, sempre em mudança ao longo das duas horas de filme, de maneira a retratar os momentos mais icónicos da carreira de Elton. Existe mesmo uma sequência durante vários concertos durante a qual vemos as incríveis transformações camaleónicas em palco.

A performance de Taron Egerton transparece a personalidade do músico e este torna-se ele mesmo em Elton John, com um modo de falar muito idêntico, os mesmo tiques e feições. Na verdade, todo o elenco transmite uma naturalidade autêntica, o que torna tudo muito plausível. O casting não podia ter sido melhor. 


Este filme é uma prova de que musicais e biopics não têm de ser todos iguais. Não é necessário seguirem sempre a mesma fórmula. E, na verdade, um filme sobre Elton John só podia ter sido feito assim, de modo a mostrar não só o seu lado espampanante, mas também os piores momentos do seu passado. E, claro, as sequências que nos levam para a fantasia que o rodeia dão um toque sonhador ao filme, que mostram a persona que há para além do ícone. 

Independentemente se são fãs ou não de Elton John ou se, tal como eu, apenas conhecem a superfície da sua carreira, este filme é um musical incrivelmente bem-sucedido, pelo que certamente agradará a todos os fãs do género!

8/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

12 comentários:

  1. Não sou muito de musicais, mas vou querer ver! :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Penso que não lhe faltará humor,
    deve ser de animado reportório,
    de chapéu e lacinho esse autor
    tem todo o estilo de ser cómico!

    Continuação de boa semana Joana Grilo.

    ResponderEliminar
  3. Este filme e o anterior, atendendo à qualidade e quantidade da música que fizeram, só poderiam ser bons.
    Ainda não vi nenhum deles, mas não perdem pela demora...
    Joana, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São os dois muito bons filmes, mesmo! Um resto de boa semana, Jaime. E obrigada por mais uma visita! 😊

      Eliminar
  4. Ainda não assisti
    Beijinhos, http://damselme.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Ainda não vi mas quero muito.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.com/

    ResponderEliminar