sexta-feira, 28 de junho de 2019

"Annabelle 3 - O Regresso a Casa" em análise

Depois do fracasso que têm sido os últimos filmes relacionados com o universo do ConjuringA Freira no ano passado e ainda mais recentemente A Maldição da Mulher que Chora –, sinto que o novo capítulo deste universo não estava a ser aguardado ansiosamente pelos fãs. Na verdade, diga-se que os filmes da boneca malvada não foram muito bem recebidos, especialmente o primeiro, pois não faziam jus ao que já tinha sido mostrado em The Conjuring (2013). Dito isto, fui ver o novo Annabelle 3 - O Regresso a Casa sem expectativas, mas de mente aberta para o que pudesse acontecer. 


Admito que vi os trailers e que até os achei relativamente bons, mas talvez por os ter visto fiquei com uma ideia errada daquilo que podia ser a história do filme. Tenho de dizer que achava que íamos voltar a ter Ed e Lorraine Warren como protagonistas, ou pelo menos que estes iam ter algum peso na narrativa, mas o lugar de ambos é logo cedido à filha Judy, a uma ama e à sua amiga. O problema aqui é que pareceu-me que os momentos mais interessantes do filme são precisamente aqueles em que Ed e Lorraine aparecem, que duram muito pouco tempo. 

Não posso dizer que o filme tem más prestações, pois acredito que as atrizes deram o seu melhor. Mas posso dizer que as personagens são mal elaboradas, ao ponto de se tornarem irritantes, pois, apesar de entendermos o porquê de quererem algo, não conseguimos evitar dar um facepalm cada vez que estas agem. Isto vai especialmente para a amiga da babysitter de Judy, Daniela (interpretada por Katie Sarife), uma rapariga que vive cheia de culpa depois de ter tido um acidente e que insiste em ir à cave dos Warren apesar da quantidade de letreiros a dizer que é perigoso entrar lá. Ou seja, a bem dizer tudo o que acontece neste filme é derivado da estupidez humana, pois todas as personagens limitam-se a ter ações que só nos deixam com vontade de revirar os olhos. 


Outro problema são os efeitos visuais. Num filme que tem momentos em que obrigatoriamente tem de haver bons efeitos para provocar alguma reação no espectador, este peca por tudo parecer demasiado simples, até mesmo manual. Por exemplo, existe uma sequência em que alguns objetos estão a cair, mas percebe-se perfeitamente que estes apenas foram empurrados. E depois temos o problema dos monstros e demónios, que parecem ser apenas máscaras mal feitas e pouco realistas. 

É uma pena que este filme não tenha tentado arriscar mais. A história só por si é muito simples e limita-se apenas a um espaço, a casa dos Warren, acompanhando somente a luta de três raparigas na tentativa de impedir que os demónios andem à solta, depois de uma delas lhes ter dado completa liberdade. Quando parece que a narrativa vai ser capaz de abrir novas portas, limita-se a fechá-las de um modo repentino, qual Deus ex machina, pois parece não ter havido soluções para certas questões levantadas pelo filme. 


Eu diria que a única coisa boa do filme é o facto de nos mostrar a sala de artefactos ao pormenor, dando uma visão mais ampla de tudo o que se encontra por lá. E tenho também de notar aqui que este filme está forte nos sustos, tendo levado uma sala inteira a dar um jumpscare em simultâneo – o que serve de convite para quem se acha muito forte e capaz de controlar os sustos. Fora isto, é uma pena que até a própria boneca Annabelle se tenha tornado em algo quase cómico.

5/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

11 comentários:

  1. Se este género de filmes não tem um investimento profundo, digamos assim, a história perde toda a intensidade. O que é uma pena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, mas felizmente no universo do Conjuring também há filmes muito bons!

      Eliminar
  2. Não estou muito empolgada para ver o filme confesso, não faz muito o meu género!

    ResponderEliminar
  3. Fui ver o filme esta semana ao cinema, admito com um pouco receio porque tinha visto o trailer e na minha cabeça o filme iria ser muito intenso, apesar de me ter assustado umas duas/três vezes, achei o filme bastante simples e básico comparado com os outros dois anteriores. Devo confessar que não sou muito fã de filmes de terror, mas como tinha visto os filmes anteriores arrisquei ver o terceiro, mas fiquei um pouco desiludida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que este está mais fraco que os anteriores. Pelo trailer também pensei que fosse algo diferente. Só me assustei uma vez, com aquela tampa a fechar!

      Eliminar
  4. Embora tenha alguma curiosidade não sou nada dada a filmes de terror!
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  5. Só não vou ver, porque sou super medricas com filmes de espíritos e essas coisas xD bjs!!

    ResponderEliminar
  6. Tive uma fase em que andava muito virada para filmes deste género, mas confesso que ultimamente não me tenho dedicado tanto. Ainda assim, tenho imensa curiosidade com esta saga, só vi o primeiro :)
    Beijinho

    ResponderEliminar