terça-feira, 4 de junho de 2019

As primeiras impressões de "NOS4A2"

Estreou ontem a nova aposta do canal AMC, NOS4A2, baseado no livro homónimo de Joe Hill. Protagonizada por Zachary Quinto, a série apresenta-nos Vic McQueen (interpretada por Ashleigh Cummings), uma jovem que descobre que é capaz de localizar Charlie Manx, um homem imortal que se alimenta das almas das crianças, levando depois o que delas sobra para a Natalândia, que é um sítio onde é sempre Natal, o que é muito apelativo para todas as suas vítimas. “The Shorter Way” foi o nome do primeiro episódio.


Admito que não li o livro de Joe Hill, pelo que não posso falar para além do material televisivo. Este episódio piloto fez uma breve introdução das personagens: ficamos a conhecer Vic e o seu talento para o desenho, mas também o seio familiar problemático em que esta se insere; por sua vez, relativamente a Charlie percebemos quais são os seus objetivos e o que este faz às crianças, mas ainda estamos numa fase em que, de um certo modo, simpatizamos com ele, o que se torna um tanto assustador, tendo em conta o quão sinistro este é. Vic é uma personagem que ficou ligada ao sobrenatural depois de descobrir uma velha ponte perto da sua casa e ter percebido que aquela mesma ponte foi demolida e ela é a única pessoa que ainda a vê. Quando decide passá-la na sua mota, vai parar a um sítio diferente, que não faz parte da realidade da sua vida caótica. 

Para primeiro episódio, este faz o que é suposto, no entanto a narrativa é um pouco confusa para quem não está a par da história. Não se entende bem a utilização do atalho, a ponte que apenas Vic consegue ver, nem de que modo esta vai conectá-la a Charlie. É ainda cedo para tirar conclusões, mas, além disso, dá-se tudo num tom muito lento, que às vezes se torna aborrecido e isso não é muito positivo num episódio piloto. 


No que toca a interpretações, todos os atores fizeram um bom trabalho, claro que Ashleigh Cummings é quem mais se destaca, devido ao seu maior tempo de antena, mas estou curiosa para ver como Zachary Quinto vai desempenhar esta sua nova personagem, pois acredito que a determinado ponto vamos ver o seu lado mais maléfico. 

Não fiquei com grande vontade de ver a série, mas ainda assim vou dar-lhe mais uma oportunidade, pois gosto do ambiente ao estilo do Krampus (2015) e também confio nas palavras do mestre do Terror, Stephen King, que escreveu que a série é verdadeiramente assustadora. Até agora, o mais assustador foi a transformação da primeira vítima (visível, pois certamente não foi a primeira) de Charlie, o pequeno Daniel Moore, numa espécie de vampiro com dentes afiados.
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações. Vi na criação deste espaço o local ideal para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto.

4 comentários:

  1. Pode ser que até consiga surpreender nos próximos episódios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu espero que sim, porque parece-me que a série tem muito potencial!

      Eliminar
  2. Desconhecia, mas até fiquei curiosa :)
    Esperemos que os próximos episódios sejam melhores.

    ResponderEliminar