terça-feira, 11 de junho de 2019

"High Life" em análise

Demorou a estrear nos cinemas portugueses, mas já passou por Portugal no ano passado, pois foi um dos filmes exibidos no LEFFEST (Lisbon and Sintra Film Festival) e foi nessa altura que o vi, mas apenas hoje venho falar-vos sobre este filme controverso, realizado por Claire Denis e protagonizado por Robert Pattinson, Juliette Binoche e Mia Goth. 


A trama de High Life leva-nos para o espaço e apresenta-nos Monte (interpretado por Pattinson) e a sua filha Willow, que vivem numa nave espacial, completamente isolados. Monte era um homem solitário que se tornou pai contra a sua vontade, depois de o seu esperma ter sido usado para inseminar Boyse (interpretada por Mia Goth). Ambos eram membros de uma tripulação formada por prisioneiros, cuja missão era chegar ao buraco negro mais próximo da Terra. No entanto, eram controlados e usados como cobaias pela Dra. Dibs (Juliette Binoche), uma mulher bastante perversa que se encontrava a bordo. Depois de vários incidentes, Monte e Willow são os únicos sobreviventes e começam a ver-se cada vez mais próximos do buraco negro. 

A ideia principal com que ficamos quando começamos a ver High Life é que é apenas mais um filme no espaço, como tantos outros. No entanto, à medida que a trama vai avançando, percebemos que estamos perante um filme bastante diferente e ousado, chegando mesmo a ser provocante. 

A personagem interpretada por Juliette Binoche, a Dra. Dibs, é quem acaba por roubar todas as atenções do filme, tal é a sua perversidade. Depois de a vermos numa sequência bastante sexual, ficamos mesmo com a ideia de que o filme é todo sobre sexo e sobre os instintos mais primários do ser humano para sobreviver. É interessante ver que, no final, mesmo alguém que esteve sobre uma espécie de “tortura” ainda consegue ter um lado humano e amar outro ser humano. As comparações que o filme a um determinado momento estabelece entre seres humanos e animais resultam bastante bem, precisamente quando percebemos as diferenças entre ambos. 


A nível de cinematografia, o filme também consegue destacar-se, especialmente nos momentos em que a personagem principal fica a observar o espaço. Talvez o maior problema seja o final, que fica um tanto em aberto. Ficamos com a sensação de que se prolongou por demasiado tempo e tentou estabelecer algo, mas que não consegue ter um final tão interessante como tudo o resto. 

High Life resulta numa pequena surpresa, pelo facto de conseguir ser diferente entre tantos filmes do género. É daqueles filmes que são capazes de atingir o público de diferentes formas: muitas pessoas vão gostar, outras vão detestar e muitas vão desejar nunca o ter visto.

7/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações. Vi na criação deste espaço o local ideal para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto.

16 comentários:

  1. entendo perfeitamente bem :D

    parece-me uma ótima sugestão :D

    NEW PERSONAL | IT’S MY B-DAY
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  2. É a primeira vez que estou a ouvir falar deste filmes, mas já me conseguiste deixar curiosa! Se tiver oportunidade vejo. :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  3. Não vi, mas apesar das reticências parece ser um filme que vale a pena ver. Mas, no fundo, até os maus filmes devem ser vistos. Pelo menos valorizamos melhor os bons...
    Joana, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui tentamos mesmo ver todos os filmes, sejam eles bons ou maus! Um bom fim de semana! 😊

      Eliminar
  4. Os filmes passados no espaço começam a ser repetitivos, mas Juliette Binoche é uma excelente referência.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, mas ainda que este seja passado no espaço não apresenta a típica trama dos filmes desse género. O tema principal é muito diferente, por isso considero que vale a pena ver! 😊

      Eliminar
  5. Ah nem sabia que este filme existia :o
    R: Sim! É caro para algo pequeno, então também adio sempre xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O filme estava a ter sérias dificuldades em chegar (para ficar) a Portugal... 😆

      Eliminar
  6. Não conhecia, obrigada por mais uma partilha. Vou apontar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois se vires o filme, partilha connosco a tua opinião! 😊

      Eliminar