segunda-feira, 3 de junho de 2019

"Verão" em análise

Depois de ter passado por Cannes (onde o realizador se viu impedido de o apresentar por estar detido em prisão domiciliária depois de ter sido acusado de uma suposta fraude) e também pelo Indie Lisboa, chega agora aos cinemas Verão (Leto), um filme do russo Kirill Serebrennikov, que nos leva diretamente para a União Soviética dos anos 80, mais precisamente para Leninegrado, numa altura em que se ouvia e tocava música rock, mas com uma censura sempre atenta a qualquer letra que pudesse ir contra o clima imposto pelo regime comunista. Somos, então, apresentados a duas bandas: os populares Zoopark, liderados por Mike Naumenko e os Kino, em ascensão, com o vocalista Viktor Tsoi, que vê em Mike e na sua mulher Natalia um apoio e uma forma de melhorar num meio que era tão controlado.


Podendo ser considerado um filme biográfico, pois foi baseado na vida de Natalia Naumenko e também é inspirado nas memórias do realizador, este apresenta uma mensagem que vai para além da história dos protagonistas e conta também com alguma ficção. É um filme que, de um certo modo, distrai o seu tema político com músicas cativantes, apresentando-nos sequências de concertos que são controlados ao máximo pelo governo, tornando-se ridículos, com uma plateia impedida de viver o momento. O facto de a cinematografia ser a preto e branco acentua precisamente isso, uma falta de liberdade por parte de quem viveu naquela época. 

Por vezes, temos sequências a cores e inclusive algumas animações que aparecem em momentos pouco reais, que apresentam o desejo de revolta por parte de um povo que vive com medo e impedido de ser algo mais. Nestes momentos, temos a presença de uma personagem que acentua o facto de naquela altura ter sido precisa muita calma e compreensão, pois qualquer demonstração contrária aos objetivos do governo geraria problemas.


Ainda que o espectador não seja fã ou simplesmente não conheça as bandas representadas no filme, todas as músicas que são tocadas despertam o nosso interesse em conhecer o rock que se fazia na União Soviética, até porque outros nomes ligados à música vão surgindo ao longo do filme e é notável a semelhança dos ritmos. É interessante pensar que os protagonistas vão numa maré contra o regime em tudo o que fazem, até nas músicas que ouvem, pertencentes a grupos como Sex Pistols, Beatles, Blondie e cantores como Bob Dylan e David Bowie, dos quais estes são particularmente fãs. De resto, a própria aparência e estilo de vida das personagens são, só por si, um alvo de ódio, sendo estes verdadeiros punks

A trama apresenta-se de uma maneira simples e sensível, que permite mostrar o modo como tudo vai nascendo e crescendo. Ficamos a ter um conhecimento aprofundado de todas as personagens e temos conhecimento do que estas querem e o que pensam. Todos eles têm noção que estão mal enquanto o governo tenta cortar-lhes as pernas, então tentam sempre entregar uma certa felicidade aos que estão próximos, motivo pelo qual Mike decide ajudar Viktor, ou também a razão pela qual este deixa a sua mulher concretizar um dos seus desejos, por muito que isso o magoe. 


Verão é um filme original que não se limita a apresentar músicas a preto e branco. Explora também uma ideia criativa, que é a de trazer animação para momentos musicais, parecendo tirá-los por completo do estilo do filme, mas apenas com o objetivo de mostrar que nem tudo o que está a ser apresentado é real. Depois temos ainda uma especial atenção ao detalhe, que torna cada sequência um regalo para os olhos no que toca ao seu design e fotografia. É um filme com uma estética muito própria e, por esse motivo, torna-se muito interessante, não só a nível sonora mas também visualmente.

8/10
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

6 comentários:

  1. Parece-me interessante.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Não tinha ouvido falar de "Verão", mas já despertaste o meu interesse :)

    ResponderEliminar
  3. Caramba não conhecia esse filme, mas gostei!
    Também fiquei com vontade de ver.
    E sim "Borber" ou "Na Fronteira" tem vários momentos estranhos, é bem louco...
    Mas num geral eu gostei!

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderEliminar