quinta-feira, 4 de julho de 2019

"Homem-Aranha: Longe de Casa" em análise

Tenho de dizer que cresci a ver os filmes do Homem-Aranha e, mesmo reconhecendo que estes nem sempre eram extraordinários, havia em todos eles algo que me cativava. No entanto, quando em 2017 fui ver a mais recente tentativa de levar o aracnídeo para o grande ecrã, achei que finalmente a Sony tinha conseguido algo grandioso, que agora prossegue por novos caminhos com o novo Homem-Aranha: Longe de Casa. Mais uma vez, sendo um filme da Marvel, é muito difícil entrar em detalhes sem entrar num território repleto de spoilers, por isso tentarei abranger alguns temas do filme sem que venha ao de cima algo que possa estragar a vossa experiência.


O filme segue a narrativa inacabada de Endgame, fechando os gaps entre alguns dos plot holes que foram deixados em aberto. Mas, especialmente, mostra Peter Parker, brilhantemente interpretado por Tom Holland outra vez, no seu pior. No seu pior, quero dizer, no fundo do poço mental, pois este ainda está devastado com a perdi da única figura que ele via como paternal após ter perdido o seu tio, sem ter noção de como conseguir ultrapassar isso. Ao mesmo tempo, tenta engatar MJ durante a sua viagem pela Europa. Isso faz com que Tom tenha de conseguir trazer momentos tanto cómicos como dramáticos repentinamente, mostrando vários tipos de emoções. 

O elenco secundário, desta vez, não faz nada de memorável, com exceção de Happy Hogan, que tenta estar presente para o Peter de maneira a suportá-lo quando mais ninguém o consegue. Ned, por exemplo, foi uma personagem que facilmente podia ter sido a mais irritante de Homecoming, mas acabou por ser o sidekick que o filme precisava, tendo uma presença necessária para o filme, enquanto neste pouca falta faz, ficando de lado na maior parte da narrativa. Zendaya, no entanto, teve um papel mais relevante na história, e a sua química com Tom Holland foi tanto fofa como constrangedora, tornando as cenas amorosas mais queridas e genuínas.


O Mysterio é um bocado de mixbag para mim. Jake Gyllenhaal faz, obviamente, um bom trabalho (que já seria de esperar do ator), mas achei a relação entre ele e Peter bastante repentina. Mesmo assim, a personagem foi muito bem conseguida e acredito que muitos dos fãs ficarão felizes por terem conseguido trazer a personagem fielmente para o ecrã da melhor forma possível. 

O que estragou um pouco o filme é o facto de este ser um bocado previsível. Não que seja culpa do filme, mas mais pelo facto da maior parte dos fãs do Aranha já conhecerem o Mysterio, e quem o conhece consegue facilmente presumir o que vai acontecer de A a Z na história. Fora isso, este filme mostra ser mais confiante que Homecoming, não sendo tão contido na sua ação e espetáculo, dando lugar a mais efeitos especiais e alguns momentos bastante surrealistas que fazem valer a pena uma experiência 3D. Giacchino voltou para a banda sonora, e apesar de manter a fórmula já criada no filme anterior, os temas continuam a bater em todos os pontos emocionais que precisam, especialmente o tema do Homem-Aranha.


Devo dizer que a Sony está a ir, finalmente, num bom andar no que diz respeito a adaptações do Homem-Aranha. E a MCU também, visto que o filme acaba numa nota tão alta que é impossível não prender os fãs com teias de antecipação para o futuro da Marvel. Não é melhor a nível de diversão que Homecoming, mas é mais aventureiro e emocionalmente carregado, tornando-o melhor para quem não gostou de Homecoming pelas razões mencionadas agora.

8/10 
SOBRE O AUTOR

Apreciador, e colecionador, de jogos e, principalmente, filmes desde a minha infância, possivelmente tendo começado o louvor de cinéfilo depois de repetir quinhentas vezes a VHS alugada no Videorama do filme Spider-Man de Sam Raimi.

4 comentários:

  1. Eu nunca fui acompanhar filmes de heróis, mas já assisti alguns filmes do Homem-Aranha e gostei, porém acho meio chato quando muda os atores...
    Mas pelo que você disse este está muito bom, fiquei curiosa em assistir :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Fui ontem ver e fiquei muito surpreendido. Estava com medo de ver o que iam fazer com os novos filmes da Marvel, depois do final do Endgame. Gostei do Mysterio, acho que o Jake Gyllenhaal esteve muito bem, ainda que fosse tudo um bocado previsível para quem conhece minimamente as comics do Homem-Aranha. Tenho de te dizer que acho que no geral gostei até mais do que do Homecoming!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste, e concordas-te com o Myserio ser um bocado previsível para quem o conhece desde a banda desenhada!
      Eu já começo é a sentir que sou dos poucos que prefere o Homecoming a este, mas pronto 😂

      Eliminar