domingo, 29 de setembro de 2019

Era uma vez...

Hoje celebra-se o Dia Mundial do Coração e eu pensei: o que posso escrever para destacar este dia? Curiosamente, há uns dias cruzei-me com os meus antigos DVDs da série Era uma Vez… o Corpo Humano (Il était une fois… la Vie, no nome original). Então, ora nem mais! Hoje falaremos precisamente sobre esta série educativa que marcou várias gerações! 


No seguimento do sucesso das duas séries anteriores, Era uma vez… o Espaço e Era uma vez… o Homem, em 1987 foi lançado Era uma Vez… o Corpo Humano, produzida em França pelos estúdios Procidis e criada por Albert Barillé. A série, composta por 26 episódios, chegou a ser emitida na televisão nacional pela RTP, mas numa versão legendada, pois a versão dobrada viria apenas a ser lançada nos famosos fascículos da Planeta DeAgostini. Talvez se estejam a questionar acerca do motivo pelo qual venho falar da série do Corpo Humano e não das outras. A explicação divide-se em dois: primeiro porque hoje, como referi, é o Dia Mundial do Coração. E, segundo, porque a minha infância ficou muito marcada pelos tais fascículos da Planeta DeAgostini e o Era uma Vez… o Corpo Humano era o que tinha a melhor coleção, com livros explicativos a acompanhar e figuras que se iam construindo, pois cada edição trazia apenas uma peça – se bem me lembro, nunca consegui completar um, pois o preço de cada DVD a partir do segundo ia subindo e eu acabava sempre por desistir das coleções. 


Esta série, e para quem está familiarizado com as outras anteriores, reintroduz a mesma fórmula educativa e traz o regresso de várias personagens que já existiam, como é o caso de Pedrito. Algo interessante aqui é que todas as informações são apresentadas de um modo que nos deixa curiosos e atentos, sendo uma excelente forma de aprender. As personagens são bem construídas, ainda que muitos sejam só passageiros, e, na maioria, têm um ar simpático, que transmite uma imediata empatia. Por exemplo, o barbudo Mestre, que é a grande face destas coleções, é uma personagem agradável, mesmo sendo o chefe de tudo o que se vai passando no corpo humano, pois é ele que controla o cérebro, neste caso. Depois temos também a querida Globina, o Globus e o Hemo e, no lado oposto, o Vírus e a Bactéria. As restantes personagens podem assemelhar-se na sua aparência, mas todos têm funções diferentes que são bem apresentadas e explicadas. 


Já se passaram vários anos desde aquela altura em que quase todos os dias eu via um episódio e a verdade é que ainda me recordo de muitas coisas, desde o tema de abertura, que ainda se mantém bem vivo na minha memória - na versão original, era cantado por Sandra Kim, a vencedora do Festival da Eurovisão de 1986 -, ou, o mais importante, o modo como o interior do nosso corpo reage em determinadas situações. Na verdade, e por muito tonto que isso possa parecer, às vezes até gosto de pensar que todas aquelas personagens simpáticas existem mesmo debaixo da pele, até porque assim fico feliz ao pensar que o meu corpo consegue criar tantas profissões… 


Eu lembro-me que cada vez que a Planeta DeAgostini lançava um novo fascículo ficava muito entusiasmada. Não só por haver um novo capítulo, mas também porque cada DVD (atenção, eu penso que a coleção também foi lançada várias vezes em VHS, mas eu só me recordo mesmo dos DVDs) tinha extras interativos que eram capazes de ensinar mais do que alguns professores na escola. Cada fascículo trazia um quiz sobre o conteúdo do filme e ainda um jogo que explicava na perfeição onde se localizavam os nossos órgãos e quais as suas funções! 


Bem, espero que este breve artigo vos tenha transmitido uma nostalgia instantânea, pois acredito que muita gente desse lado também via os episódios de Era uma vez… o Corpo Humano!
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

12 comentários:

  1. Também cheguei a ver, sim. E que bela maneira de celebrar este Dia Mundial do Coração :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi pura coincidência. Na verdade já tinha o artigo em rascunho há uns dias e decidi aproveitar! 😜

      Eliminar
  2. Recordo-me bem da série.
    Didáctica e divertida.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  3. Eu tinha as cassetes todas! Adorava e estava sempre a aprender.
    Muitos beijinhos*

    https://little-cherry-wine.blogspot.com/2019/09/rotina-matinal-para-ir-sem-stress-para.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só tenho alguns DVDs, mas até estão riscados de tanto uso...

      Eliminar
  4. Oh que recordação tão boa, eu adorava ver e aprendi tanto! :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também! Aprendi mais a ver do que em muitas aulas... 😜

      Eliminar
  5. Que saudades!! Lembro-me de ficar toda contente quando passavam episódios na escola! Tinha umas quantas cassetes que a minha mãe me comprava em conjunto com as revistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E alguma vez conseguiste juntar as peças todas do boneco? 😜

      Eliminar
  6. Nenhum de nós viu este tipo de desenhos, mas parece-nos ser do tipo da carrinha mágica, que adorávamos ver!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabaram de me dar uma excelente ideia: escrever sobre a Carrinha Mágica! 😜

      Eliminar