sexta-feira, 11 de outubro de 2019

"Smallfoot" (2018) e a inversão de um mito

Na próxima semana chega aos cinemas o filme Abominável, o novo da Dreamworks, que nos leva numa viagem com o objetivo de devolver um Yeti ao seu lar, no monte Evereste. Ainda que a animação e a história sejam muito diferentes, este filme lembrou-me, de um certo modo, o Smallfoot, que foi lançado no ano passado. Talvez a única coisa em comum seja mesmo o facto de ambos envolverem Yeti, mas como até achei uma certa piada a Smallfoot, decidi trazê-lo para aqui, para o caso de vos estar mesmo a apetecer ver filmes sobre monstros das neves – até porque já começa a ficar frio à noite e sabe bem ver um filme com esta temática enquanto estamos tapadinhos com uma manta!


Smallfoot é um filme realizado por Karey Kirkpatrick que nos apresenta uma comunidade de Yeti (mais conhecidos por “Pé-Grande”) que habita no topo de uma grande montanha, mesmo por cima das nuvens. Liderados pelo Guardião das Pedras, os Yeti têm imensas regras gravadas em rochas, nas quais existe uma a mostrar que não existe nada por baixo das nuvens, nem mesmo humanos. Acontece que certo dia, Migo, um dos membros desta comunidade, dá de caras com um piloto acabado de se despenhar num avião. E é quando vê o seu pé que percebe que está perante o “Pé-Pequeno”, que até aquele momento era apenas um mito. Quando regressa à sua comunidade e conta os acontecimentos, é expulso pelo Guardião, que assume que Migo está a afirmar que o que está escrito nas pedras é mentira. 

Então, depois de ser expulso, Migo encontra Percy, um rapaz que faz vídeos sobre animais, mas que está perto da falência e decide ir em busca do “Pé-Grande”, de modo a ganhar mais audiências. A partir deste momento, começa uma grande aventura entre Yeti e humanos. 


O que este filme faz é pegar no mito do “Pé-Grande” e invertê-lo. Ou seja, mostra-nos que o “Pé-Grande” não é assustador, mas que o “Pé-Pequeno” (o ser humano) é. É tudo uma questão de ponto de vista! Uma ideia muito simples, mas que ainda não tinha sido explorada antes, por isso resulta aqui bastante bem. 

Ao longo do filme, temos, no entanto, vários momentos musicais que não são necessários, mas já sabemos que nos filmes de animação as personagens começam quase sempre a cantar sem motivos para isso… O problema é que na versão portuguesa as músicas não ficaram bem e em certos momentos é até um pouco difícil de perceber as palavras que estão a ser ditas. Tentei esclarecer se o mesmo acontece na versão original e percebi que não. Mas, claro está, nunca é tarefa fácil traduzir as canções quando estas são criadas para um idioma específico. 


No geral, este filme consegue definitivamente entreter as crianças, ao mesmo tempo que vai introduzindo algumas lições de vida. Mas o público adulto não foi esquecido! Temos aqui, de um certo modo, uma personagem com a qual certamente nos vamos conseguir identificar: Percy. Este jovem anda sempre com o seu telemóvel e assim que conheceu o Pé-Grande limitou-se a filmar tudo. Não nos lembra alguém? Mesmo sendo um filme infantil, este Smallfoot consegue representar muito bem alguns aspetos da atualidade. Por este e por outros motivos, resulta num filme divertido, ideal para toda a família!
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

4 comentários:

  1. Sendo um filme divertido,
    ideal para toda a família
    não se tornando aborrecido
    a todos transmite alegria!

    Para si, Joana Grilo, desejo um bpm fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais um belo poema! Uma continuação de boa semana para si!

      Eliminar
  2. Fiquei com imensa curiosidade, assim que ouvi o seu anúncio *-*

    ResponderEliminar