sexta-feira, 8 de novembro de 2019

John Cena como pai aflito em "Os Empatas" (2018)

Já vai longa a lista de wrestlers da WWE que também adicionaram a profissão de ator aos seus currículos. Claro que os mais populares neste ramo são Dwayne Johnson (o “The Rock”), que cada vez mais tem tido aparições no grande ecrã, muitas vezes assumindo mesmo o papel de protagonista (como recentemente em Jumanji, que agora terá uma sequela), e Dave Bautista (que teve um papel fundamental em Os Guardiões da Galáxia e outros filmes do MCU). Ora, mas há um outro antigo wrestler que rapidamente ganhou um certo relevo na sétima arte: refiro-me, claro está, a John Cena, a figura carismática que só por si tem conseguido atrair um certo público até aos cinemas. Esta quinta-feira estreou Quem Brinca com o Fogo, um filme por ele protagonizado. No entanto, hoje não falamos sobre esse filme, mas sim sobre outro recente também com ele: Os Empatas (2018). 


Os Empatas (no nome original simplesmente Blockers) é realizado por Kay Cannon e conta com um elenco juvenil (as filhas!) composto por Kathryn Newton, Geraldine Viswanathan e Gideon Alon, e ainda Leslie Mann e Ike Barinholtz, para além de John Cena, que assumem os papéis dos pais. A trama apresenta dois pais e uma mãe que descobriram que as filhas planeiam perder a virgindade na noite do baile de finalistas e partem numa aventura que tem como objetivo impedi-las de “cometer esse erro”. 

Esta é uma comédia que, por vezes, apresenta algum humor negro. Existem várias piadas ao longo do filme, mas as cenas mais engraçadas são as que já tinham sido mostradas nos trailers, o que é de lamentar, pois arruína por completo o fator surpresa... 


Num filme que podia ser sobre adolescentes, são os pais que ganham a nossa maior atenção – nomeadamente a figura de John Cena, sejamos honestos. As cenas com as filhas às vezes são um pouco aborrecidas e apenas mostram o típico estereótipo do adolescente rebelde. Sentimos que apenas queremos ver as cenas com os pais desesperados por impedir as filhas. Até porque grande parte do humor deriva das tentativas falhadas deles. 

Infelizmente, no final do filme sentimos, também, que já se está a alongar demasiado e tem cenas que são desnecessárias e pouco coerentes. Por exemplo, no final, o primeiro beijo de uma das filhas, em que esta refere indícios que nunca aconteceram. Já para nem falar muito da cena em que a mulher da personagem de John Cena faz um discurso feminista completamente fora de contexto e extremamente alongado… Enfim! 


No geral, o filme consegue divertir e se não fossem as cenas para mais de dezoito poderíamos mesmo dizer que daqui a uns tempos poderia ser um daqueles filmes que passam nos canais de televisão aos domingos à tarde. Assim, é apenas um daqueles filmes ligeiros que são bons para se ver enquanto se come pipocas. Ideal para quem gosta de comédias, por isso aqui fica mais uma sugestão!
SOBRE A AUTORA

Estudante de Cultura e Comunicação, com uma grande admiração pela sétima arte. Vejo filmes desde criança e sempre tive um gosto especial pelas animações e grandes clássicos. A criação deste espaço foi a solução para ligar este meu interesse à escrita, da qual também tanto gosto!

Sem comentários:

Enviar um comentário