quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

"The Outsider" - Episódios 1 e 2 em análise

Na passada segunda-feira, dia 13, chegou à plataforma de streaming HBO a mais recente adaptação de uma obra do “mestre do horror” Stephen King, como já tínhamos referido na publicação sobre o livro. The Outsider leva-nos para um lugar pacato onde se dá uma morte inexplicável. Todas as pistas apontam para um suspeito: Terry Maitland. No entanto, o homem encontrava-se noutro sítio quando se deu o assassinato. Poderá uma pessoa estar em dois sítios ao mesmo tempo? É esta a premissa do livro e da série. 


Até ao momento foram apenas lançados os dois primeiros episódios, ambos com realização a cargo de Jason Bateman, que também veste a pele de Terry Maitland, numa interpretação que vai buscar muitos dos jeitos da personagem descritos no livro. Na verdade, estes dois episódios mantêm-se muito fiéis à obra literária, com a diferença de que tudo ocorre com uma maior rapidez. Em cerca de duas horas já foi apresentada uma boa porção do livro, que, por curiosidade, corresponde ao que, na minha opinião, é o melhor: o início de uma investigação mais aprofundada. No livro é tudo descrito ao mais ínfimo pormenor; na série foram feitas escolhas e apenas temos o essencial, que é perfeitamente normal e até ao momento está a resultar. Foram dois episódios ricos em informação, mas esta foi apresentada de um modo pouco complexo, permitindo que tudo seja fluído, mas sempre coerente e nunca deixando pistas importantes para trás. 

Estes dois episódios para além de apresentarem a premissa da história também introduzem as suas personagens, ainda que algumas que terão uma presença fundamental ainda não tenham aparecido – tudo a seu tempo! As personalidades dos protagonistas criados por King foram mantidas. O agente Ralph Anderson, interpretado por Ben Mendelsohn, que é um dos principais centros de atenção, merece um grande destaque, em grande parte porque o ator foi capaz de transparecer através das suas feições todas as dúvidas que a personagem vai sentindo. 


O primeiro episódio, intitulado “Fish in a Barrel” trouxe consigo a descoberta do corpo da criança de onze anos assassinada e a decisão repentina de Ralph Anderson de prender Terry Maitland durante um jogo de baseball, à frente de toda a gente. Por sua vez, no segundo episódio, Roanoke, já temos o agente a hesitar e a reconhecer que algumas evidências podem provar que o processo que tem em mãos é muito mais complicado do que se pensava inicialmente. Consequentemente, temos também problemas derivados da sua decisão rápida, inconsciente e fortalecida pelo ódio, que influenciarão inteiramente o rumo da narrativa. Neste episódio posso acrescentar que gostei muito de uma escolha de realização que mostra o mesmo acontecimento através de dois pontos de vista, acentuando o receio das duas partes - sem spoilers!

O terceiro episódio será lançado já no dia 20. Se tudo correr como até agora e se o rumo do livro for seguido até ao fim, arrisco-me a dizer que podemos estar perante uma das melhores séries do ano! E desse lado, curiosos por ver The Outsider ou não vos despertou o interesse?
QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

2 comentários:

  1. Pela tua análise, fiquei mesmo interessada em ver. A premissa é intrigante e adoro que, pelo menos para já, se mantenha tão fiel ao livro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico curiosa para ver se nos episódios seguintes vão continuar a seguir a obra literária tão meticulosamente...

      Eliminar