sábado, 8 de fevereiro de 2020

"Hair Love", muito amor e cabelos indomáveis

Em véspera de noite da cerimónia dos Óscares, hoje damos algum destaque a uma curta-metragem de animação que se encontra na corrida aos prémios. Hair Love, produzida pela Sony Pictures Animation, já conquistou o coração de todos os que a viram. Escrita e realizada pelo ex-jogador da NFL Matthew A. Cherry, apresenta uma história que gira à volta da sua filha Zuri e dos seus cabelos indomáveis. 


Certamente muitos de vós já acreditaram que têm cabelo com vida própria e difícil de controlar. É essa a difícil tarefa que Zuri enfrenta, depois do afastamento da mãe, que a costumava pentear. O pai não se revela muito habilidoso com o pente, mas à medida que a curta-metragem aumenta vemos que ambos começam a ganhar uma maior confiança e lá transformam o cabelo de Zuri num penteado fantástico, como os que a mãe lhe fazia. 

A animação tem pouco mais de cinco minutos, mas é o tempo suficiente para nos levar a mergulhar naquela pequena família e levar-nos numa onda de sentimentos, até porque durante a sua maioria leva-nos a crer em algo e depois é capaz de nos surpreender. Para além disso, consegue quebrar barreiras e de forma simples e natural mostrar que um pai também pode fazer tarefas que, geralmente, são assumidas como responsabilidade das mães. 

Hair Love enfrenta uma concorrência forte na categoria de Melhor Curta-Metragem de Animação, mas mesmo que não se saia vencedora, vale muito a pena ver!

QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

2 comentários: