sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

O regresso de "The Walking Dead" - "Squeeze" (T10E09)

Depois da já habitual pausa a meio, The Walking Dead regressou esta segunda-feira, 24 de Fevereiro, para a segunda parte da décima temporada. “Squeeze” foi o nome atribuído a este nono episódio, que retomou o clímax em que o grupo liderado por Daryl e Carol tinha ficado na mid-season finale, depois de ficarem encurralados numa gruta, onde se encontra a horda de walkers comandada pelos Sussurradores (Whisperers). 


Tenho de admitir que nos últimos tempos o meu entusiasmo pela série tem vindo a desvanecer-se. Não se deve à saída de Andrew Lincoln, que interpretava Rick, muito menos está relacionado com a morte de Carl ou de qualquer outra personagem. Sinto-me cansada por vários motivos: The Walking Dead anda a dar há demasiados anos; já foram mais de 150 episódios, houve muitos altos e baixos. Em comparação com os altos, sinto que estamos a ficar aquém dos tempos de glória. Mas não é só por isso: sinto, também, que os novos vilões, os Sussurradores são aborrecidos. Nas comics agradavam-me e reconheço que muitas sequências são daí derivadas, mas na série não me motivam, incluindo Alpha, que até me enerva. 

Isto para dizer que a pausa da temporada passou quase sem dar por ela, pois desta vez não aguardava ansiosamente o regresso desta que durante anos considerei a minha série favorita e que venho a acompanhar já desde o seu início. Ainda assim, desta vez vi o novo episódio à hora em que foi transmitido na Fox, não adiando durante toda a semana. 

Desde a mudança de showrunner, nota-se que a série não perde tempo, até porque não se encontra numa situação que a permita prolongar por demasiado os momentos de tensão. Ou seja, este episódio fechou o arco que o anterior tinha estabelecido e é isso que tem sido feito com frequência: abrem-se arcos num episódio e no seguinte fecham-se, de modo a não deixar pontas soltas e tentar entregar algo novo em cada episódio. 


“Squeeze” levou-nos novamente para o local onde ficámos na mid-season finale e mostrou as consequências de alguns atos dos protagonistas. No geral, não foi um mau episódio, no entanto teve, a meu ver, um grave problema: a iluminação! Lembram-se do episódio da grande batalha de A Guerra dos Tronos, onde não se via quase nada? Aqui aconteceu isso mesmo – para ajudar na criação do ambiente, claro está, mas é sempre preferível para o telespectador conseguir apreciar todos os momentos de tensão sem ter de semicerrar os olhos e colocar a televisão com o máximo de brilho! Dito isto, a maioria das sequências passadas na gruta perderam muito significado, por simplesmente estarem escuras, impedindo-me de perceber na totalidade o que se estava a passar. 

Por outro lado, ainda na gruta houve momentos muito bem conseguidos. Neste episódio, a claustrofobia de Carol, já anteriormente mencionada na série, foi tema de conversa por várias vezes. Vimos a personagem a ter alguns ataques, mas é uma sequência de Jerry que acentua esse receio: temos a personagem presa numa saída, porque não consegue passar, com vários walkers a agarrarem-se aos seus pés, puxando-o para baixo – para a morte –, enquanto os vivos o puxam para a luz. Os movimentos de câmara permitem que o público sinta o seu pânico, aumentando a adrenalina. 

Já que falamos em Carol, é interessante também refletir acerca daquilo em que esta se tornou, depois da morte de Henry às mãos de Alfa: é, sejamos sinceros, um autêntico fardo, o que é triste, tendo em conta a personagem forte e perspicaz que foi durante várias temporadas. O modo como tem sido apresentada nos últimos tempos leva a crer que a sua despedida da série está próxima. Talvez lhe reste apenas um grande momento de glória: matar Alfa – isto é, se as comics não forem seguidas à risca – e talvez esse momento chegue no episódio 14, intitulado “Look at the Flowers”, a frase tão icónica de Carol. 


Este episódio trouxe ainda uma visão diferente do mundo de Alfa… Algo vindo diretamente das bandas desenhadas, que parece ter surpreendido negativamente muitos fãs da série! Refiro-me ao momento de Negan e Alfa, já apelidado de “uma das sex scenes mais nojentas de sempre”. Certamente será apenas mais um truque de Alfa, mas Negan não se vai deixar enganar. Dificilmente se renderá aos Sussurradores… 

No geral, não foi um mau episódio. Conseguiu trazer alguma ação para a série, mas está longe de ser dos melhores. Vamos lá ver o que se segue, pois este deixou alguns momentos de tensão pendentes, nomeadamente entre Daryl e Carol.
SOBRE A AUTORA

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas tenho E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

2 comentários:

  1. A série para mim já está morta e enterrada há anos! Segui durante várias temporadas, mas desisti. É sempre a mesma coisa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De vez em quando o que está morto ainda se levanta - neste caso. Custa-me deixar de ver, mas concordo que está a ficar cada vez mais aborrecida...

      Eliminar