quarta-feira, 8 de julho de 2020

"Footloose - A Música está do teu Lado" (1984) a rebobinar

Hoje damos os parabéns a Kevin Bacon, um ator que já conta com mais de noventa créditos no currículo e que, ao longo dos anos, protagonizou inúmeros filmes, incluindo este sobre o qual escrevo hoje, onde se apresenta ainda numa fase muito tenra da sua carreira, o que não o impediu de imediatamente, depois da estreia nas salas de cinema, se ter tornado num dos atores mais populares, especialmente, naquela altura, entre os adolescentes. Claro está, estou a falar de Footloose - A Música Está do Teu Lado (1984), realizado por Herbert Ross e com um elenco no qual a Kevin Bacon se juntam Lori Singer, John Lithgow e Diane Wiest. 


É bom quando um filme tem o poder de nos levar a viajar para outros tempos e ainda que Footloose não seja extraordinário é inegável que tem essa capacidade poderosa. A trama passa-se numa pequena cidade onde a música rock e a dança foram proibidas. Estes são dois elementos que marcaram os anos oitenta e, ainda que durante a maioria da duração do filme estejam proibidos, a verdade é que estão sempre presentes, levando-nos a viver aqueles anos energéticos juntamente com as personagens rebeldes que são apresentadas. 

Ren, interpretado por Kevin Bacon, é um rapaz recém-chegado a esta cidade. Incapaz de entender os motivos de uma proibição tão absurda começa uma rebelião com o objetivo de trazer de volta a música e a dança. Torna-se num símbolo rebelde, até porque desde a sua chegada os outros adolescentes sentem-se inquietos. Alguns até vêem nele um rival, ou não tivesse este chamado demasiado às atenções da miúda mais popular lá do sítio, Ariel (interpretada por Lori Singer). 


Quase sempre com um tom leve, muito teenager, Footloose parece estar sempre perto dos limites do razoável, mas nunca os pisa. A história pouco complexa aborda problemas da adolescência, bullying, violência do namoro, mas também alguns dramas familiares e, positivamente, o despertar das paixões. A maneira como apresenta estes temas é, porém, simples, parecendo não ter muito tempo a perder com algumas situações, até porque o objetivo é trazer de volta o som do rock e deixar os pés a mexer. 

Dito isto, num filme onde há este objetivo é preciso haver uma grande banda sonora. E esta não podia ser mais contextualizada, dando-nos um máximo de ritmos dos anos oitenta! A sequência inicial, dos créditos, começa logo ao som de “Footloose” de Kenny Loggins, com passos energéticos a surgir em plano de fundo, com grande destaque para os ténis/sapatilhas brancos que tanto marcaram aqueles anos. É difícil não começarmos logo a sentir também uma vontade de dançar, mas há outros dois momentos que, para mim, só aumentam essa vontade: o momento da corrida dos tratores, com Bonnie Tyler a cantar “Holding Out For a Hero”, como se a corrida fosse muito heróica; e, claro, o momento da dança “a solo” de Kevin Bacon, que em grande frustração liberta toda a sua vontade de dançar, ao som de “Never” dos Moving Pictures, numa sequência que se tornou extremamente popular. 


Este é um filme que marcou várias gerações, tendo tido a capacidade de se tornar num clássico do Cinema, mesmo sendo apenas razoável. A verdade é que vem carregado de energia, adrenalina e dramas de adolescentes. Às vezes sentimos vontade de ver filmes assim e lá nisso Footloose é quase perfeito, entregando quantidades acertadas de tudo o que compõe este seu género. Para além disso, como disse, leva-nos a viajar, recordando os que viveram aqueles tempos ou dando a conhecer os anos oitenta a quem só nasceu depois. 

Por todos estes motivos, apesar da longa carreira de Kevin Bacon, recordar Footloose pareceu-me a melhor aposta, até porque com este filme tornou-se muito mais conhecido no meio. Para hoje, aqui fica esta sugestão para todos os que nunca o viram. Despeço-me, desejando um feliz 62º aniversário ao Bacon! 🎂
QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

1 comentário: