segunda-feira, 14 de setembro de 2020

MOTELX 2020: os vencedores da 14ª edição

Foi ontem na sessão de encerramento da 14ª edição do MOTELX - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa que foram anunciados os vencedores deste ano dos prémios Melhor Curta de Terror Portuguesa e Melhor Longa de Terror Europeia / Méliès d’argent 2020

Pelican Blood de Katrin Gebbe

Mata, de Fábio Rebelo, foi a grande vencedora do Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2020 / Méliès d’argent 2020, tendo sido exibida novamente antes de The Rental, filme que marca a estreia de Dave Franco na realização e que foi o escolhido para a cerimónia de encerramento do festival. Em Mata somos apresentados a um casal que se encontra perdido na floresta e sem rede nos telemóveis. Inesperadamente, têm um reencontro que lhes traz consequências aterradoras. Para o júri – composto por Pandora da Cunha Telles, João Pedro Rodrigues e Margarida Vila-Nova – este é “um filme sólido que joga com o imaginário da literatura fantástica, mergulhando num espaço onde enfrentamos os nossos pequenos medos”, e que, “em escassos minutos e sem pretensões”, “revela a promessa de um jovem realizador”. 

O júri atribui ainda uma menção especial a A Grande Paródia, de André Carvalho, “filme visceral” sobre um realizador que adormece enquanto vê televisão e sonha vender a alma a troco de fama e glória. “Transgredindo a ironia”, a curta-metragem desarmou o júri “pela sua brutalidade” e “pela coragem tocante, no limite da castração e da auto-representação”. 

Mata de Fábio Rebelo

Já no que toca à competição internacional, Pelican Blood, realizado por Katrin Gebbe, venceu o prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia 2020 / Méliès d’argent. Este é o segundo filme da realizadora alemã e explora a agonia de uma mãe que adota uma criança que revela comportamentos perturbadores. “Uma escolha unânime” para o júri composto por Pedro Mexia, Filipe Homem Fonseca e Carla Galvão, que aplaude “um filme que instala uma tensão permanente, um filme sobre o instinto maternal e a saúde mental, sobre a perda e o sacrifício, sobre o mal como proteção, um mal reeducável, que faz apelo à coragem e à perseverança, contra toda a lógica e toda a esperança”. O vencedor Pelican Blood vai voltar a ser exibido hoje às 20:40h. 

Ao longo desta segunda-feira o terror ainda vai andar por Lisboa, com destaque para a exibição de Scream, Queen! My Nightmare on Elm Street e o aclamado Get Out, de Jordan Peele.
QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

Sem comentários:

Publicar um comentário