sábado, 30 de janeiro de 2021

Opinião sobre a Demo de "Monster Hunter Rise" da Nintendo Switch

Um dos mais recentes lançamentos da Capcom e também a mais recente adição à franquia de Monster Hunter é um dos jogos RPG mais aguardados deste ano para a Nintendo Switch. Como tal, decidi experimentar a Demo gratuita, que está disponível na eShop até este domingo, dia 31. Posso, desde já, adiantar que esta é muito completa, mas também bastante limitada, visto que podemos apenas jogar um limite de trinta vezes.


Depois de descarregada e iniciada, a Demo leva-nos para um menu onde temos várias opções, incluindo um jogo sozinho ou jogo com amigos – um multijogador que tanto funciona no modo local como no online. Vou começar, então, pelo jogo “solitário”, que foi aquele que mais joguei. Escolhida essa opção, somos levados até outro menu que apresenta quatro opções, sendo duas delas missões (uma iniciante e outra intermédia) e dois tutoriais, que, claro, são úteis para fazer antes de partir para uma das missões. A opção mais interessante ao início, fora já dos tutoriais, é a iniciante, onde o nosso objetivo é caçar um “Grande Izuchi”. Já nessa missão, ao início poderá ser um pouco difícil de compreender os controlos, visto que nesse sentido há pouca informação e poucas dicas para além das que aparecem nos menus de carregamento. O melhor será, então, explorar: tanto os botões da própria consola como o próprio mundo do jogo, de uma beleza extraordinária. Há mesmo muito por descobrir, mas é importante não esquecer que temos uma missão e para chegar ao local certo basta seguir uma seta vermelha, posicionada à frente da nossa personagem, ou consultar o mapa, presente sempre no canto inferior esquerdo do ecrã.

Juntamente com a nossa personagem, há dois companheiros, que tornam mais fácil a tarefa da luta e também ajudam a chegar aos locais mais rápido, visto que podemos montar um deles. Ambos servem de apoio, mas também têm uma barra de vida, à qual é importante darmos atenção enquanto jogamos e, de preferência, ajudá-los quando precisam. Mas caso algo de mal aconteça e se a nossa personagem desmaiar, simplesmente regressamos ao acampamento, ou seja, ao início e temos de fazer novamente o percurso até ao nosso alvo. Temos um total de três oportunidades de vida, sendo que quando se dá o terceiro desmaio é também o fim do jogo.

Derrotar os nossos inimigos pode, à partida, parecer uma tarefa complicada, já que é complicado compreender de imediato as funcionalidades de cada uma das personagens que podemos escolher. Todos têm armas diferentes e movimentos distintos, pelo que o melhor é descobri-los todos, um a um, até nos sentirmos mais confortáveis a jogar com determinada personagem. Pessoalmente, achei alguns relativamente mais práticos e fáceis de jogar, em grande parte devido às armas e ataques. Assim que começarmos a entrar no ritmo da personagem, também derrotar os inimigos e cumprir os nossos objetivos torna-se mais fácil.


Já no que toca ao jogo online, o objetivo mantém-se, mas gostava de destacar o modo de comunicação, visto que é possível falar (com frases já pré-feitas e stickers) com as pessoas com quem estamos a jogar, tornando-se mais fácil transmitir apoio ou pedir ajuda, sem ser necessário recorrer ao nosso telemóvel para isso. Jogar com amigos também facilita as missões, pois o alvo continua com o mesmo nível de vida e são dois contra um.

Esta é uma Demo muito completa, mas deixa desde logo explicito que a versão final será muito diferente. Pessoalmente, espero que seja melhorada a reprodução dos gráficos, já que senti que havia alguns glitches, com os cenários a demorarem algum tempo a aparecer por completo e também alguma lentidão nas deslocações da minha personagem face às minhas ações no comando – nomeadamente a sacar e a arrumar a arma. Mas, no geral, é uma boa Demo, que a mim deixou a vontade de jogar o jogo completo e de descobrir o que mais este terá para oferecer.

A Demo de Monster Hunter Rise para a Nintendo Switch está disponível gratuitamente para descarregar na eShop até este domingo, dia 31 de Janeiro, e é compatível com o modo de multijogador online.
QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

Sem comentários:

Enviar um comentário