sábado, 27 de fevereiro de 2021

"WandaVision" - Episódio 8 ("Previously On") em análise

Depois do final do episódio da semana passada, a espera desta vez parece ter sido mais longa do que o habitual, mas agora o oitavo e penúltimo capítulo de WandaVision (com o nome “Previously On”) já está disponível no Disney+ e veio mudar por completo o tom da série. Se até então ainda continuávamos a ter um certo humor, mesmo com a revelação de Agatha Harkness, este oitavo episódio chegou para nos levar numa viagem séria pela vida de Wanda, à medida que também explora a origem dos seus poderes e, claro, a sua chegada a Westview.


Agatha Harkness assume um papel de especial importância, já que é ela que leva Wanda numa viagem “terapêutica” pelo seu passado, onde somos transportados para a sua infância, onde juntamente com os seus pais e irmão via sitcoms (especial destaque para o The Dick Van Dyke Show), em plena Guerra Fria. Estamos, assim, no momento da morte dos seus pais, que é também o despertar dos seus poderes, para impedir a explosão de uma bomba (cortesia da indústria Stark, que, anteriormente, já tinha sido referida nas televendas, com a tostadeira ToastMate2000). No entanto, percebemos de seguida que foi quando esteve em contacto com uma Pedra do Infinito que os seus poderes aumentaram, tendo tido a visão de uma Feiticeira Escarlate. Neste ponto, é interessante refletir no que já sabíamos sobre as origens de Wanda no MCU e existem algumas diferenças, nomeadamente o facto de a protagonista já ter os seus poderes antes de se juntar à Hydra e de ter o tal contacto com a Pedra do Infinito, mais conhecida como a Mind Stone, que mais tarde viria a estar no cetro de Loki e, claro, em Visão. Aqui, a explicação mostra-nos que Wanda já nasceu com os seus poderes, mas a pedra teve uma especial importância no aumento da sua força.

Mais tarde no episódio, chegamos ao momento em que Wanda partilhou casa pela primeira vez com Visão, no edifício dos Vingadores. Vemos a interação entre ambos, logo após a morte de Pietro, enquanto as sitcoms continuam a ser apresentadas na televisão, mostrando que o gosto desta por este estilo de televisão esteve sempre presente. Parece-me interessante também referir que temos uma homenagem interessante às sitcoms reais, já que vários títulos populares são apresentados, com um claro destaque para Malcolm in the Middle.


Já perto do fim da sua viagem, Wanda passa pela S.W.O.R.D., com o objetivo de recuperar o corpo de Visão, que está totalmente desmontado, numa tentativa de o recuperar que, até aí, não está a ser bem-sucedida. Este momento acaba por mostrar que ela não levou realmente o corpo (tendo este ficado no edifício da S.W.O.R.D.), mas assim que regressa ao seu carro tem uma carta no banco do passageiro, que a leva até Westview, com um ponto assinalado a dizer “to grow old in, V.”. Trata-se, afinal, da escritura de uma casa, o local escolhido por Visão para morarem juntos. Só que assim que chega ao local, a tristeza e a raiva de Wanda aumentam, libertando os seus poderes e transformando toda a cidade de Westview no que vimos nos episódios anteriores. É também aí que vemos que este parece ter criado Visão de raíz nesta sua nova realidade.

Este foi um episódio de emoções fortes, em que existe uma tentativa de descobrir o interior de Wanda, os seus dilemas, receios e as suas maiores tristezas. No final, temos ainda um momento em que Agatha captura os filhos da protagonista e revela que esta usou a Magia do Caos, o que faz dela uma “Feiticeira Escarlate”, ou seja, a partir daqui só vamos ver os poderes de Wanda a aumentar, já que isso confirma a sua capacidade de alterar as probabilidades (como aconteceu com a bomba, e também com o que descobrimos agora sobre Visão), o que permite alterar a realidade, que é mais ou menos o que já tinha feito na série, mas agora entendemos o motivo.


Uma das maiores questões que este episódio me deixou esteve, porém, relacionada com a própria Agatha. Desta vez teve, claro, muito mais tempo de antena e revelou os seus poderes, assim como um lado mais “negro”, que nos levou também para o Salem, onde esta enfrentam várias bruxas. Ainda assim, custa-me acreditar que será a grande vilã da série (não lhe querendo, claro, tirar o mérito, porque considero a personagem extremamente interessante e bem-criada). Cheira-me, honestamente, que ainda vamos ter uma grande surpresa no último episódio da série e que haverá ainda um vilão maior – gostaria mesmo que este palpite estive certo. A juntar a isto, é de referir que este episódio tem uma sequência a meio dos créditos, que nos apresenta o White Vision, popular nas comics. E se as cores de Visão significavam a sua humanidade, ao estar totalmente branco poderá ser apenas uma arma da S.W.O.R.D. para derrotar Wanda. Será que vamos ter um confronto entre Wanda e esta versão de Visão?

Este oitavo episódio foi complexo e com uma duração ligeiramente maior que a dos anteriores. O grande capítulo final já está a chegar e resta-nos aguardar para que seja tão bom quanto o resto da série, que até agora foi uma grande surpresa no MCU.
QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

Sem comentários:

Enviar um comentário