quinta-feira, 8 de abril de 2021

"The Walking Dead" - T.10 Ep. 22 ("Here's Negan") em análise

Chegámos esta semana ao fim dos seis episódios extra e, consequentemente, também ao final da décima temporada de The Walking Dead, que ficou marcada por muitos momentos altos (com destaque para a morte de Alpha) e por outros baixos (relembro o episódio anterior, focado em Carol a tentar matar uma ratazana que a está a impedir de cozinhar). Foi uma temporada que se cruzou com alguns obstáculos, nomeadamente a pandemia, que impediu o lançamento de episódios a tempo, adiando aqueles que seriam os últimos da temporada, e levando, mais tarde, à confirmação de que, afinal, ainda haveria seis episódios extra para compensar os fãs pelo tempo de espera. Anteriormente, já referi que não fiquei totalmente convencida com estes extras e chego até a assumir que alguns seria preferível nunca terem existido (o caso de “Diverged”), mas houve um que me despertou a atenção desde início e que deixou os fãs com grandes expectativas: “Here’s Negan”, o capítulo que nos chegou esta segunda-feira.


“Here’s Negan” veio contar uma história que os fãs queriam há muito conhecer: a de Negan e do seu passado antes do fim do mundo. A fórmula inicial do episódio não difere muito de um outro que já tínhamos visto recentemente (o de Daryl e da sua “namorada”), no entanto consegue cativar-nos através de uma linha temporal alternada, que dá um certo suspense aos acontecimentos relatadas. Tudo começa com Carol a conduzir Negan a uma casa, afirmando-lhe que com a chegada de Maggie não será mais bem-vindo na comunidade. Mais tarde, isolado, Negan começa a recordar-se de momentos da sua vida, passando pela sua fase badass (quando matou Abraham e Glenn e liderava os Salvadores) e recuando até meses antes do apocalipse, para depois se aperceber de coisas que fez que na altura tiveram uma grande importância e que agora não têm significado.

Este acaba por ser um episódio de redenção para aquele que foi um dos grandes vilões da série, se bem que neste momento já é apenas uma das personagens mais acarinhadas pelos fãs e também uma das que teve um dos maiores desenvolvimentos desde o momento em que apareceu pela primeira vez. “Here’s Negan” acentua todas as mudanças pelas quais passou, mostrando os motivos pelos quais se tornou no “vilão” e dando uma explicação simples e eficaz para isso: é o fim do mundo, não há regras, pode fazer-se o que se quiser.


Este é o episódio que nos apresenta a verdadeira Lucille, a sua esposa (interpretada pela esposa na vida real de Jeffrey Dean Morgan, Hilarie Burton). A interação entre ambos é, claro, natural, levando-nos a acompanhar todos os sentimentos que pretendem transmitir em cada momento. Na série, é uma relação de altos e baixos e que termina de forma trágica e emocionante para as personagens e para o espectador. Conhecer Lucille leva-nos a compreender algumas das atitudes de Negan que, afinal de contas, já não tem mais nada a perder.

“Here’s Negan” trouxe um elevado nível de qualidade entre um lote de episódios fracos. Arrisco-me até a dizer que este foi um dos melhores episódios da série e veio confirmar que, neste momento, Negan é uma das personagens mais fortes do atual grupo. No entanto, com o regresso de Maggie, por quanto mais tempo vai ser assim? Resta-nos esperar pela 11ª temporada, cuja primeira parte chegará ainda este ano.
QUEM ESCREVEU ESTE ARTIGO?

Um grilo falante que lê livros, vê filmes e coleciona figuras e outras tralhas. Tenho um grande gosto pelos grandes clássicos e pelas animações. Na minha lista de longa-metragens favoritas estão E Tudo o Vento Levou (1939), Cinema Paradiso (1988), Forrest Gump (1994) e La La Land (2016).

Sem comentários:

Enviar um comentário